Chamada para artigos – 3.º Volume

Decorre até 30 de Setembro de 2021 o período de submissão de trabalhos para o terceiro volume da Revista Orientes do Português – edição conjunta do Instituto Politécnico de Macau e da Universidade do Porto.

Todos os artigos enviados através da página de submissões serão objeto de uma primeira avaliação por parte da comissão redatorial que, em caso de aprovação, os submete a um sistema de revisão externa por pares, cega e anónima, com dois revisores. A decisão inicial é comunicada aos autores num prazo de até 30 dias.

A revista está aberta a contribuições inéditas com metodologias de investigação e correntes de pensamento científico diversas:

  • Nas áreas relacionadas com a linguística portuguesa, interessam-nos especialmente temas como o contacto do português com línguas orientais e o ensino e aprendizagem do português como língua estrangeira no oriente.
  • Na área da tradução, os temas relacionados à tradução e recepção de textos orientais nos países de língua portuguesa e dos textos traduzidos do português e publicados nos países do oriente.
  • No campo da literatura, aceitam-se artigos relacionados às manifestações artísticas, literárias e culturais dos territórios e comunidades relacionados ao oriente onde a língua portuguesa tem influência.
  • A Revista também aceita a submissão de traduções para o português de artigos e ensaios publicados originalmente em língua estrangeira que versem sobre os temas supracitados e cuja importância para as suas respectivas áreas justifiquem a sua difusão entre os membros da comunidade científica falantes do português.

As propostas deverão respeitar o guia de estilo adoptado pela revista. A revista aceita trabalhos escritos em qualquer uma das variedades do português e também em inglês.

Com periodicidade anual e livre acesso, já publicou dois números (2019 e 2020) em formato digital (ISSN: 2707-3130). Sua missão principal é divulgar o conhecimento científico produzido por investigadores, docentes e outros profissionais da língua portuguesa que atuem na China e demais países asiáticos, mas é aberta, igualmente, a investigadores com outras origens.